NOTÍCIAS

abraciclo-divulga-acoes-para-a-semana-nacional-de-transito

abraciclo-divulga-acoes-para-a-semana-nacional-de-transito

ABRACICLO DIVULGA AÇÕES PARA A SEMANA NACIONAL DE TRÂNSITO

abraciclo-divulga-acoes-para-a-semana-nacional-de-transito

A Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) irá realizar uma série de atividades durante a Semana Nacional de Trânsito (18 a 22 de setembro). Entre as ações está uma série de blitze educativas em diversos pontos críticos de acidentes de trânsito da cidade de São Paulo, dentro da “Semana da Mobilidade 2017”, promovida pela Secretaria de Mobilidade e Transportes da Prefeitura Municipal de São Paulo, juntamente com a Companhia de Engenharia de Tráfego – CET.

As ações envolvem a distribuição de folhetos educativos e chaveiros, além da abertura de faixas com mensagens de conscientização em cruzamentos com semáforos, em locais como a Estrada do M’Boi Mirim, Avenida Rebouças, no cruzamento com Avenida Brasil e Rua Henrique Schaumann, e Avenida Salim Farah Maluf, cruzamento com a Avenida Sapopemba.

Datas e horários – Blitze Educativas na Semana Nacional do Trânsito

     18/09 (segunda-feira) – das 06h30 às 18h30

  • Estrada do M’Boi Mirim, altura do nº 932
  • Avenida Teotônio Vilela, cruzamento com Av. Atlântica
  • Avenida Cupecê, próxima ao Parque Nabuco

 

    20/09 (quarta-feira) – das 06h30 às 18h30

  • Avenida Rebouças, cruzamento com Av. Brasil e R. Henrique Schaumann
  • Avenida São João, esquina com R. General Osório (“Rua das Motos”)
  • Bernardino de Campo, esquina com R. Ramon Penharrubia

 

    22/09 (sexta-feira) – das 06h30 às 18h30

  • Avenida Salim Farah Maluf, cruzamento com Av. Sapopemba
  • Avenida Jacu Pêssego, cruzamento com Av. Adriano Bertozzi (Praça Yazuo Yamamoto)
  • Avenida Aricanduva, cruzamento com Rua Júlio Colasso

 

MotoCheck-Up e reconhecimento

A Abraciclo vem se destacando por suas campanhas de conscientização de segurança no trânsito. Somente neste ano promoveu 15 blitze educativas durante uma semana, no final de maio, também feitas em diversos locais estratégicos na cidade de São Paulo (SP), além de realizar as 20ª e 21ª edições do MotoCheck-Up,que ocorreram, respectivamente, nas Marginais Tietê e Pinheiros, nos meses de maio e junho, em parceria com a Companhia de Engenharia de Tráfego – CET, Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, Prefeitura de São Paulo, Prefeitura Regional de Santo Amaro, SPTrans e Comando de Policiamento de Trânsito – CPTran. A iniciativa é o maior programa setorial de avaliação gratuita de motocicletas e de conscientização de motociclistas sobre pilotagem segura da América Latina.

Ao todo cerca de 8 mil motociclistas passaram pelos locais e tiveram a oportunidade de receber vistoria gratuita de 21 itens mecânicos e de segurança de suas motocicletas, além de assistirem a uma vídeo-palestra, com cerca de 10 minutos, em que foram apresentadas e comentadas orientações sobre pilotagem segura, “pontos cegos”, dicas para evitar acidentes no dia a dia e a importância de ter um comportamento correto, aí incluído o respeito às normas e regras de trânsito e a convivência harmoniosa com os demais condutores de veículos.  Na sequência, os motociclistas assistiram a uma demonstração prática de frenagem da motocicleta, onde os instrutores mostravam o ganho de espaço quando se pratica o acionamento combinado dos freios dianteiro e traseiro. No fim das atividades, os participantes receberam um vale para troca gratuita de óleo de suas motocicletas. Todo o circuito era cumprido em cerca de 25 a 30 minutos.

Em reconhecimento aos resultados obtidos pela 20ª edição do MotoChek-Up (ocorrida em maio) e as 15 blitze educativas realizadas em pontos críticos da capital paulista, a Abraciclo foi agraciada com a medalha de “Destaque do Maio Amarelo 2017”, concedida pelo Observatório Nacional de Segurança Viária – ONSV.

 

Fonte: ONSV

 

 

O artigo: ABRACICLO DIVULGA AÇÕES PARA A SEMANA NACIONAL DE TRÂNSITO, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →

enfatizar-o-papel-de-cada-usuario-das-vias-publicas-e-o-foco-da-semana-nacional-do-transito-em-2017

enfatizar-o-papel-de-cada-usuario-das-vias-publicas-e-o-foco-da-semana-nacional-do-transito-em-2017

Enfatizar o papel de cada usuário das vias públicas é o foco da Semana Nacional do Trânsito em 2017

 

Até 2030, o número de mortos em acidentes pode chegar a 1,9 milhão de pessoas em todo o mundo, daí a importância de conscientizar a população.

 

Assessoria de Imprensa Perkons

Giovana Chiquim

No Cartoon Motor Mania, da Disney, o senhor Walker é um homem comum, de hábitos comuns; um cidadão inteligente, gentil, amável e honesto, incapaz de matar uma formiga. Ele se considera um bom motorista, mas, quando pega no volante, sofre uma metamorfose e se transforma num condutor diabólico. A sensação de poder no comando do automóvel muda a sua personalidade e ele vira o Sr. Willer, um sujeito grosseiro, sem paciência, que se comporta como o “dono da rua”, xinga as pessoas ao redor, não respeita às leis de trânsito e se envolve em vários acidentes. Apesar de ficcional, o Sr. Willer parece ter sido inspirado em muitos condutores da vida real, que acabam se envolvendo em sinistros por pura imprudência.

De acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária, 90% dos acidentes ocorrem por falhas humanas – que vão de desatenção dos condutores ao desrespeito à legislação. As mais comuns citadas pela instituição são o excesso de velocidade, manuseio do celular, falta de equipamentos de segurança como o cinto de segurança ou capacete, uso de bebidas alcóolicas antes de dirigir e até mesmo dirigir cansado.

Em 2012, 46.689 pessoas morreram devido a acidentes de trânsito no país, o que significa uma morte a cada 12 minutos. Os números estão no documento Retrato da Segurança Viária no Brasil, uma iniciativa público-privada. Segundo o levantamento, motociclistas lideram o ranking, com 36,2% de óbitos e 55% de feridos – sendo que as motos somam 26,4% da frota de veículos brasileira. Os índices envolvendo pedestres também são alarmantes: totalizam 25,4% das vítimas fatais em acidentes viários, sendo que no Norte o índice chega a 32,3% e a 31,4% no Sudeste.

Ainda conforme o Relatório, o cenário atual sugere que até 2030 o número de mortos em acidentes pode chegar a 1,9 milhão de pessoas em todo o mundo. Daí, a importância de conscientizar todos os usuários das vias públicas a terem mais atenção, respeito e empatia no trânsito, para que esse triste prognóstico não se concretize.  O uso do cinto de segurança, por exemplo, é uma medida simples que reduz o risco de morte em até 50% dos casos entre passageiros nos bancos dianteiros, e em até 75% para os ocupantes do banco traseiro.

Um trânsito mais democrático e cidadão

Atento à realidade acerca do trânsito brasileiro, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) realiza, de 18 a 25 de setembro, a Semana Nacional do Trânsito (SNT). O evento acontece todos os anos e nele são promovidas diversas atividades em todo o país para estimular uma mudança de comportamento no trânsito e transformar as ruas num espaço de cidadania, tornando cada um dos usuários das vias – motoristas, motociclistas, pedestres, ciclistas, passageiros etc – protagonistas dessa nova realidade.

O tema “Minha escolha faz a diferença no trânsito” foi escolhido não apenas para a SNT, mas para todas as campanhas e ações educativas envolvendo o trânsito em 2017. Com isso buscou-se enfatizar a importância e a valorização da responsabilidade de todo cidadão na construção de um trânsito mais seguro e saudável.

Para Luiz Gustavo Campos, diretor e especialista em trânsito da Perkons, que desenvolve e aplica tecnologia para a segurança viária, o trânsito é um ambiente complexo onde o espaço é dividido por diferentes pessoas e veículos, por isso exige condutas adequadas e bom senso por parte de todos. “Todos têm essencial e igual relevância na construção de um trânsito mais humano e mais seguro. O motorista deve respeitar os limites de velocidades estipulados. O pedestre deve usar a faixa para travessia e fazê-la com atenção máxima. O ciclista não deve pedalar nas calçadas, destinadas exclusivamente aos pedestres. Motociclistas não devem circular pelo corredor. Precisamos pensar o trânsito como um organismo vivo constituído de diversas partes, e o mote das campanhas educativas desse ano deixa isso claro: minha escolha faz a diferença, independe de qual meio de transporte estou utilizando”, aponta.

Ainda segundo Campos, algumas medidas podem ser adotadas para tornar o trânsito mais seguro. “Educação. É preciso pensar e realizar campanhas e ações educativas sistemáticas, como a SNT, que falem aberta e claramente ao público sobre a importância de um trânsito mais democrático, que não seja palco de tantos acidentes e mortes. Também investimentos em infraestrutura e gestão do trânsito, para proporcionar melhor qualidade de vida a todos. Ainda, legislação eficaz e fiscalização. Em 2016, 99,93% dos motoristas que passaram por trechos com equipamentos da Perkons não cometeram as infrações monitoradas. Apenas no período, esses equipamentos monitoraram quase 4,8 bilhões de veículos. Isso reforça a importância da fiscalização para um trânsito menos violento”, analisa o diretor.

 

enfatizar-o-papel-de-cada-usuario-das-vias-publicas-e-o-foco-da-semana-nacional-do-transito-em-2017

Fonte: Perkons S.A.

O artigo: Enfatizar o papel de cada usuário das vias públicas é o foco da Semana Nacional do Trânsito em 2017, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →

dpem-e-dpvat-semelhantes-mas-com-destinos-bem-diferentes

dpem-e-dpvat-semelhantes-mas-com-destinos-bem-diferentes

DPEM e DPVAT: semelhantes, mas com destinos bem diferentes

 

dpem-e-dpvat-semelhantes-mas-com-destinos-bem-diferentes

Com os naufrágios ocorridos recentemente no Pará e na Bahia, muito se falou sobre o DPEM (Seguro Obrigatório de Embarcações ou por sua Carga) ou lamentou-se a falta dele. Segundo o Ministério da Saúde, nos últimos 10 anos, 1.200 pessoas morreram por afogamento, em decorrência de acidentes com embarcações. Sem o seguro, famílias e vítimas ficaram desamparadas no momento em que mais precisavam.

Em agosto deste ano, quando esses acidentes ocorreram, muitos elogiaram a gestão da Seguradora Líder-DPVAT e sugeriram que o DPEM seguisse os mesmos moldes de gestão para o seguro de embarcações. Essa sugestão parece estar ganhando força. Esta semana, a Presidência da República encaminhou ao Ministério dos Transportes uma solicitação feita pelo gestor de seguros Nelson Uzêda para a elaboração de um Projeto de Lei que passaria para a Seguradora Líder-DPVAT a gestão de todos os seguros obrigatórios, como os aéreos, terrestres e aquaviários. A justificativa de Uzêda é que, dessa forma, estes seguros teriam uma gestão mais eficiente.

dpem-e-dpvat-semelhantes-mas-com-destinos-bem-diferentes1

Mas você sabe quais são as semelhanças e diferenças entre o DPVAT e o DPEM e por que tiveram destinos tão diferentes? Abaixo, listamos cinco informações que você precisa saber sobre os dois seguros. Confira!

1. O DPEM foi normatizado pela Lei 8.374, de 30 de dezembro de 1991, e era obrigatório para todos os proprietários de embarcações – nacionais ou estrangeiras, destinadas ao tráfego marítimo, fluvial ou lacustre, dotadas ou não de propulsão própria. O Seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre ou por sua Carga a Pessoas Transportadas ou Não) foi criado em 1974 e, em 2008, passou a ser administrado pela Seguradora Líder-DPVAT, para facilitar o acesso da população ao Seguro;

2. A finalidade do DPEM era garantir cobertura a pessoas transportadas ou não, inclusive os proprietários, tripulantes e/ ou condutores das embarcações e a seus beneficiários dependentes. O Seguro DPVAT tem a mesma função e beneficia motoristas, passageiros ou pedestres, independentemente do número de envolvidos, incluindo estrangeiros que estejam em território nacional;

3. Ambos os seguros indenizam, independentemente de comprovação da culpa do condutor;

4. O DPEM não é mais comercializado desde o primeiro semestre de 2016, por não ser considerado lucrativo para as seguradoras. Já o Seguro DPVAT conta com 79 seguradoras consorciadas e 57 seguradoras acionistas.

5. O Seguro DPVAT custeia parte da manutenção da Saúde Pública e da Política Nacional de Trânsito: 45% da arrecadação é repassado diretamente ao Fundo Nacional de Saúde (FNS) e 5% vai para o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), para a realização de campanhas e outras iniciativas no âmbito da Política Nacional de Trânsito. O DPEM, infelizmente, não tinha esta função.

dpem-e-dpvat-semelhantes-mas-com-destinos-bem-diferentes2

Fonte: Viver Seguro no Trânsito

 

O artigo: DPEM e DPVAT: semelhantes, mas com destinos bem diferentes, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →

producao-de-motos-no-brasil-cai-135-em-agosto-diz-abraciclo

producao-de-motos-no-brasil-cai-135-em-agosto-diz-abraciclo

Produção de motos no Brasil cai 13,5% em agosto, diz Abraciclo

 

Foram fabricadas pouco mais de 80 mil unidades, contra 92,7 mil no mesmo mês do ano passado. Acumulado do ano apresenta queda de 9%.

producao-de-motos-no-brasil-cai-135-em-agosto-diz-abraciclo

A produção de motos no Brasil caiu 13,5% em agosto, comparando com o mesmo período de 2016. Foram fabricadas 80.192 unidades, contra 92.725 em agosto do ano passado. As informações são da Abraciclo, a associação das fabricantes de motocicletas.

O acumulado do ano também apresenta queda, ainda que um pouco mais leve, de 9%. Entre janeiro e agosto de 2017, foram produzidas 575.524 unidades, contra 632.490 nos oito primeiros meses de 2016.

Assim como na indústria de carros, as exportações estão em alta. As 7.239 enviadas para outros países representam 60,1% mais do que em agosto de 2016.

A Abraciclo projeta que até o final do ano sejam produzidas 910 mil unidades. Se concretizado, o número será 2,5% maior do que o de 2016, quando saíram das fábricas brasileiras, 887.653 motos. Para isso acontecer, o setor terá que reverter a queda atual.

Fonte: G1

O artigo: Produção de motos no Brasil cai 13,5% em agosto, diz Abraciclo, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →

pl-reduz-pela-metade-tempo-de-curso-para-condutor-de-moto-de-50-cilindradas

pl-reduz-pela-metade-tempo-de-curso-para-condutor-de-moto-de-50-cilindradas

PL reduz pela metade tempo de curso para condutor de moto de 50 cilindradas

 

pl-reduz-pela-metade-tempo-de-curso-para-condutor-de-moto-de-50-cilindradasA Comissão de Viação e Transportes aprovou proposta que reduz pela metade o número de horas-aula exigidas no curso de formação de candidatos interessados em conseguir a Autorização para Conduzir Ciclomotores (ACC).

Os ciclomotores, também chamados de “cinquentinhas”, são veículos de duas ou três rodas de até 50 cilindradas com velocidade máxima de 50 quilômetros por hora.

O texto aprovado é um substitutivo do deputado Hugo Leal (PSB-RJ) ao Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 527/16, do deputado Hildo Rocha (PMDB-MA), que retira exigência de todas as aulas e exames teóricos para obter a ACC.

As exigências estão na Resolução 572/15 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que fixa em 20 horas a carga horária do curso teórico-prático e em 10 horas o curso de prática de direção veicular.

O substitutivo de Leal retira 10 horas-aula sobre direção defensiva. Segundo ele, o Contran poderá reorganizar o conteúdo programático para o candidato ter conhecimento básico necessário para a realização do exame teórico.

Para Leal, as exigências do Contran para obter a ACC deixaram o processo mais caro que obter um ciclomotor usado, desestimulando a regulamentação do setor. “Não adianta estabelecer exigências que não terão como ser cumpridas pela sociedade.”

Leal afirmou que é preciso conciliar exigências para conseguir a autorização tendo em vista a capacidade financeira e social dos futuros condutores, mas também o risco de dirigir esses veículos. “Precisamos encontrar um ponto de equilíbrio para dar mobilidade com segurança à população.”

Segundo dados do seguro obrigatório de veículos (DPVAT), os acidentes com motos e ciclomotores respondem por mais de 75% das indenizações por morte e lesões no trânsito, apesar desses veículos representarem apenas 27% da frota.

Tramitação

A proposta ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (inclusive o mérito); antes de seguir para o Plenário.

Nova 168

Com uma edição em Porto Alegre na última terça-feira, 12, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) encerrou o ciclo de audiências públicas em cinco cidades para debater mudanças no processo de habilitação de condutores. Entre as alterações propostas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estão o aumento da carga horária das aulas teóricas e práticas, inclusão de aulas e provas em via pública para motos, e criação de cursos teóricos específicos para cada categoria.

Navegando em direção totalmente contrária ao que diz o PL, a nova 168 propõe um curso teórico para obtenção da ACC de 54 horas/aula (sendo o Básico de 34 horas/aula e o Específico de 20 horas/aula) e um prático de 15 horas/aula em Circuito Fechado e 10 horas/aula em Via Pública, totalizando 25 horas/aula de curso prático para o candidato a obtenção da ACC.

A intenção é que o novo regramento, que substituirá a atual resolução 168, seja votado pelo Contran ainda neste ano.

Com informações da Agência Câmara de Notícias.

 

Fonte: Portal do Trânsito

O artigo: PL reduz pela metade tempo de curso para condutor de moto de 50 cilindradas, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →

proposta-garante-gratuidade-no-transporte-publico-para-professores

proposta-garante-gratuidade-no-transporte-publico-para-professores

Proposta garante gratuidade no transporte público para professores

 

De acordo com a autora, deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), se aprovada, lei isentará de tarifa de ônibus locais, intermunicipais e interestaduais a professores da rede pública.

 

proposta-garante-gratuidade-no-transporte-publico-para-professoresA deputada Mariana Carvalho (PSDB/RO) apresentou projeto de lei (8375/2017) que isenta de tarifa de ônibus locais, intermunicipais e interestaduais a professores da rede pública. Se aprovado, os professores da rede pública de ensino de todo o Brasil, devidamente credenciados, ficam liberados de pagar passagens de transporte público no trajeto de casa para a instituição de ensino que leciona.

Ainda de acordo com a proposta, as viagens interestaduais somente serão para professores que lecionam ou para realização de cursos de capacitação em outro Estado ou Município, com prévia autorização da instituição de ensino, e limitado a duas poltronas por ônibus.

“A importância desse projeto de lei, é fundamental para incentivar os educadores dos diversos centros de ensinos de todo o País, e demonstrar a necessidade desses profissionais para o futuro do crescimento e qualidade de vida das nossas crianças”, diz a deputada.

Para ela, a educação deve ser tratada com prioridade pelo poder público, e os professores são elementos essenciais e indispensáveis para formação de um sistema educacional de qualidade.

“Vislumbramos na proposta uma formação de incentivo econômico aqueles professores que ainda toleram um salário incompatível com sua importante função. O transporte para essa classe de trabalhadores pesa bastante no orçamento, pois precisam deslocar-se para diferentes escolar quase sempre no mesmo dia, nas áreas urbanas e rurais”, afirma.

As informações são da Assessoria de Imprensa

 

Fonte: Portal do Trânsito

O artigo: Proposta garante gratuidade no transporte público para professores, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →

cnh-digital-comecara-a-valer-a-partir-de-fevereiro-de-2018

cnh-digital-comecara-a-valer-a-partir-de-fevereiro-de-2018

Governo tira do ar versão demonstrativa da CNH digital

 

A partir de fevereiro do ano que vem, o documento poderá ser apresentado no lugar da carteira física e vai ser identificado pela leitura do QR Code (código digital).

 

cnh-digital-comecara-a-valer-a-partir-de-fevereiro-de-2018A versão de demonstração da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) digital foi retirada do ar na quinta-feira (31/8). Segundo o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), a medida foi tomada porque o aplicativo estava sendo visualizado apenas em caráter demonstrativo, mas estaria trazendo confusão aos usuários.

Ainda de acordo com a Serpro, nesse primeiro momento, os downloads do aplicativo estavam sendo feitos apenas em seu site e permitiam a visualização de uma carteira de habilitação falsa, com a finalidade de mostrar ao usuário a funcionalidade do novo serviço.

Apesar disso, houve confusão por parte dos interessados, que passaram a procurar o aplicativo nas lojas virtuais e acreditavam que conseguiriam visualizar suas próprias carteiras de habilitação. Com isso, o governo decidiu suspender a demonstração, mantendo apenas orientações no site da Serpro.

Anunciada no mês passado, a versão final da CNH digital deve ser lançada no final de setembro, quando será disponibilizada em lojas como Google Play e App Store. Já a implantação será gradativa, sendo Goiás o primeiro Estado.

A partir de fevereiro do ano que vem, o documento poderá ser apresentado no lugar da carteira física e vai ser identificado pela leitura do QR Code (código digital). A versão digital terá o mesmo valor da impressa, a de papel continuará sendo emitida e usada normalmente.

 

Fonte: Portal do Trânsito

O artigo: Governo tira do ar versão demonstrativa da CNH digital, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →

agosto-termina-com-recorde-de-emplacamentos

agosto-termina-com-recorde-de-emplacamentos

Agosto termina com recorde de emplacamentos

 

Saldo de 216.534 veículos no mês foi o maior do ano, seguido por maio, com 195.558 unidades.

 

agosto-termina-com-recorde-de-emplacamentos

O mês de agosto foi mais doce para o setor automotivo. O saldo de emplacamentos de veículos novos, entre carros, comerciais leves, ônibus e caminhões foi de 216.534 unidades. O resultado é o melhor do ano até agora (até então, o mês recordista era maio, com 195.558 exemplares, seguido de perto por junho, com 194.971) e representa uma alta de 17,75% ante o mesmo mês do ano passado. Os dados foram revelados ontem pela Fenabrave, a associação que representa as concessionárias.

No acumulado de janeiro a agosto deste ano, as vendas somaram 1,42 milhão de exemplares, cifra 5,33% superior à do mesmo período de 2016, quando foram comercializados 1,34 milhão de veículos.

Os rankings de participação de mercado, tanto pelas marcas como por seus respectivos modelos, não tiveram alterações significativas. Os hatches compactos Onix, HB20 e Ka continuam ocupando o pódio. O Chevrolet lidera com folga, com 18.513 unidades em agosto e 116.982 no acumulado do ano. Depois, vêm o Hyundai, com 10.377 e cerca de 70 mil, e o Ford, com 7.631 e 59.529, respectivamente.

A Chevrolet também está em primeiro entre as marcas, com 17,94% de participação. Depois, vêm Fiat (13,69%), VW (12,60%), Hyundai (9,45%), Ford (9,28%), Toyota (8,91%), Renault (7,41%), Honda (6,29%), Jeep (4,10%) e Nissan (3,34%).

Motos. Já no mercado de duas rodas, o movimento em agosto foi de queda. Foram vendidas 73.357 unidades, contra 80.362 no mesmo mês do ano passado, uma baixa de 4,98%. No acumulado do ano, a queda foi mais acentuada: 18,77%. Foram 573.978 motocicletas, contra 706.597 nos oito primeiros meses de 2016.

 

Fonte: Jornal do Carro 

 

 

O artigo: Agosto termina com recorde de emplacamentos, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →

o-que-significa-sinistro-segurado-seguradora-e-corretora

o-que-significa-sinistro-segurado-seguradora-e-corretora

O que significa sinistro, segurado, seguradora e corretora?

 

o-que-significa-sinistro-segurado-seguradora-e-corretora

Você sabe o que é sinistro, segurado, seguradora e corretora? O mercado segurador tem termos que às vezes geram dúvidas para quem está de fora. Mas não se preocupe. Hoje, vamos explicar o significado de todos esses jargões, dando continuidade à série do Dicionário DPVAT, através da qual já explicamos os três tipos de cobertura do Seguro DPVAT e o significado de prêmio, Seguro DPVAT e Seguradora Líder-DPVAT. Preparados para novos conhecimentos? Então vamos lá!

Sinistro – no jargão do mercado segurador, quando a ocorrência prevista no contrato de seguro acontece, ela é chamada de SINISTRO. Por exemplo, no caso de seguro domiciliar contra roubo, se o evento acontecer, um sinistro será gerado. No Seguro DPVAT é a mesma coisa: como toda a população em território nacional é segurada, um acidente de trânsito que gera um pedido de indenização é chamado de sinistro.

Segurado – é o cliente da seguradora que contrata um seguro. Por isso podemos dizer que toda a população no Brasil é nossa segurada quando se acidenta no trânsito. Que responsabilidade, né?!

Seguradora – é uma empresa autorizada pela Susep (Superintendência de Seguros Privados) que indeniza seus clientes quando situações previstas no contrato de seguros acontecem. Por exemplo: seguro contra roubo ou furto de carros. A Seguradora Líder-DPVAT é a seguradora responsável única e exclusivamente do Seguro DPVAT, que protege toda a população brasileira contra acidentes de trânsito.

Corretora – nem sempre a seguradora é a empresa que vende o contrato de seguro. Esse trabalho é função do corretor, profissional especializado e treinado para esta atividade. As seguradoras contam com corretoras de seguros para vender os seus produtos aos clientes. No caso da Seguradora Líder-DPVAT, os corretores são parceiros incríveis, pois eles auxiliam a população quando necessita dar entrada no pedido do Seguro DPVAT.

Neste link, além de saber qual é o ponto oficial de atendimento para dar entrada no pedido do Seguro DPVAT mais próximo da sua casa, dá pra conferir também se tem um corretor parceiro perto de você.

 

Fonte: Viver Seguro no Trânsito

O artigo: O que significa sinistro, segurado, seguradora e corretora?, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →

curso-teorico-para-adicao-de-categoria-e-teste-no-cfc-antes-das-provas-teoricas-veja-mudancas-previstas-pela-proposta-da-nova-168

curso-teorico-para-adicao-de-categoria-e-teste-no-cfc-antes-das-provas-teoricas-veja-mudancas-previstas-pela-proposta-da-nova-168

Curso teórico para adição de categoria e teste no CFC antes das provas teóricas. Veja mudanças previstas pela proposta da nova 168

 

curso-teorico-para-adicao-de-categoria-e-teste-no-cfc-antes-das-provas-teoricas-veja-mudancas-previstas-pela-proposta-da-nova-168Dando continuidade a nossa série especial de reportagens sobre as possíveis mudanças propostas pela Nova 168 para o processo de formação, especialização e reciclagem de condutores, vamos abordar outras novidades propostas pelo novo texto legal.

Curso teórico de 60 horas/aula e prático na rua para categoria A e ACC! Veja o que pode mudar no processo de formação de condutores

Se o texto da minuta for aprovado, os condutores que pretenderem adicionar categoria a já existente, terão que, além de fazer curso prático, como é hoje, deverão passar por curso teórico específico de 20 horas/aula.

Veja quadro abaixo:

Curso Como é Como vai ficar
ACC Curso teórico: 20 horas/aula

Curso prático: 10 horas/aula

Curso teórico: Específico (20 horas/aula)

Curso prático: em Circuito Fechado (15 horas/aula)

Em Via Pública (10 horas/aula)

Categoria A Curso prático: 15 horas/aula Curso teórico: Específico (26 horas/aula)

Curso prático: em Circuito Fechado (15 horas/aula)

Em Via Pública (10 horas/aula)

Categoria B Curso prático: 15 horas/aula

Treinamento em simulador: 5 horas/aula

 

Curso teórico: Específico (26 horas/aula)

Treinamento em simulador: 5 horas/aula

 

Curso prático: 25 horas/aula

Categoria C Curso prático: 20 horas/aula Curso teórico: Específico (20 horas/aula) 

Curso prático: 20 horas/aula

Categoria D Curso prático: 20 horas/aula Curso teórico: Específico (20 horas/aula) 

Curso prático: 20 horas/aula

Categoria  E Curso prático: 20 horas/aula Curso teórico: Específico (20 horas/aula) 

Curso prático: 20 horas/aula

De acordo com o texto, nos cursos de adição de categoria o processo de ensino deve estar adequado às especificidades dos veículos (dimensões, pesos e funções) que se pretende adicionar, assim, entre outros conteúdos, aqueles relacionados às manobras, regulamentações especiais e o compartilhamento dos espaços de circulação com outros usuários da via.

Validade do processo

O Art.38 da proposta estabelece o aumento de prazo de validade do processo de obtenção, de autorização para conduzir ciclomotores, à habilitação, ou à adição de categoria para 18 meses. Atualmente o processo é válido por 12 meses, motivo de reclamação de muitos candidatos.

Questões nos exames teóricos

A nova 168 padroniza as questões dos exames teóricos e estabelece que a prova deverá conter questões de múltipla escolha, com quatro alternativas de resposta. Além disso, as questões devem estar de acordo com um Manual para Elaboração de Questões, que deverá ser publicado em resolução específica.

O novo exame teórico deverá conter: 45 questões com 4 alternativas, se o candidato estiver se habilitando só para ACC, ou só A ou só B. Se for ACC com B ou A com B deverá conter 65 questões.

Avaliação de aprendizagem

A minuta cria também um processo de “Avaliação de Aprendizagem” que deverá ser realizado pelos Centros de Formação de Condutores sempre depois dos cursos teóricos tanto para primeira habilitação quanto adição de categoria e renovação de CNH.

Antes de encaminhar o candidato ao exame teórico do Detran, o CFC deverá aplicar uma prova.  Caso o aluno não alcance, no mínimo, 70% (setenta por cento) de aproveitamento na avaliação de aprendizagem teórica, ele não poderá fazer o exame teórico no Detran.

Exame toxicológico

No Art.54, a minuta da proposta regulamenta um novo exame toxicológico antes de renovar a CNH. Para aqueles que têm a CNH de categoria C, D e E com vencimento de cinco anos, o exame deve ser realizado no prazo de 2 anos e 6 meses. Para os motoristas que têm a CNH, nas categorias citadas anteriormente, com vencimento de três anos, o exame deve ser realizado no prazo de 1 anos e 6 meses. Isso quer dizer que, se aprovada, serão dois exames toxicológicos durante o prazo de vigência das CNHs de categorias C, D e E.

Comprovação de habilitação

Uma das mudanças que está causando mais polêmica é a de comprovação de habilitação. Se a nova 168 for aprovada, o termo “mudança” de categoria não irá mais existir. Conforme a proposta da Resolução haverá a “adição” de categoria.

Para os condutores habilitados na categoria E, fica assegurado o direito de conduzir veículos das categorias B e E. Para assegurar o direito de conduzir veículos das categorias C e D, para condutores que não possuam registro no RENACH para estas categorias, será necessário apresentar prova inequívoca da condição de condutor de veículo da categoria C e/ou D.

Para os condutores habilitados na categoria D, fica assegurado o direito de conduzir veículos das categorias B e D. Para assegurar o direito de conduzir veículos das categorias C, para condutores que não possuam registro no RENACH para esta categoria, será necessário apresentar prova inequívoca da condição de condutor de veículo da categoria C.

 

Fonte: Portal do Trânsito

O artigo: Curso teórico para adição de categoria e teste no CFC antes das provas teóricas. Veja mudanças previstas pela proposta da nova 168, também pode ser encontrado no portal: IN Trânsito.

VEJA MAIS →